Carro voador no Japão é testado pela empresa NEC

O carro voador no Japão da empresa NEC Corp. promete revolucionar como as pessoas se locomovem daqui a alguns anos.

Carro voador NEC

Protótipo carro voador no Japão

O teste foi feito em Abiko na segunda-feira, dia 05 de agosto, dentro das instalações da empresa NEC em ambiente controlado.

O carro tem 3.9 metros de largura, 3.7 metros de comprimento, 1.3 metros de altura, pesa 150 kg e é equipado com quatro propulsores com motor elétrico.

Além disso, é controlado por rádio e nos testes iniciais chegou a voar três metros e ficou estável por um minuto.

Abaixo é possível ver o teste. Os propulsores iniciam em 1 minutos e 10 segundos do vídeo.

A expectativa é que o carro voador esteja em operação em 2023 para transportar objetos e fazer entregas.

No entanto, o transporte de pessoas será possível apenas daqui a alguns anos, mas a empresa não divulgou datas ainda.

Eles serão mais eficientes que os atuais helicópteros e serão uma alternativa mais barata, menos barulhenta e autônoma em comparação.

Futuro

O governo japonês já anunciou planos para viabilizar esses projetos, incluindo a NEC, Toyota Motor Corp e mais para fazer protótipos de carros voadores.

Em 2030 é esperado que as pessoas possam utilizá-los como transporte no Japão, além de ajudar em desastres naturais

Leia também

Inteligência artificial no Japão: país começa a investir em especialização 

Tecnologia do Japão: país que ser o primeiro a ter carros voadores 

Descubra o que o Japão mostrará nas Olimpíadas de Tóquio 2020 

Robôs feitos pela Toyota trabalharão nas Olimpíadas Tokyo 2020 

O Japão está em uma corrida para ser o primeiro a ter carros voadores e por isso investe em tecnologias para que isso aconteça.

Esse tipo de carro será útil em áreas rurais e para aliviar um pouco o trânsito dos carros convencionais.

Portanto, o teste do carro voador NEC é apenas um dos primeiros que virão a público nos próximos anos.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via